LICOR FALTAR NAS FESTAS JUNINAS, DE JEITO NENHUM

Por Jean Spiess

Licor no São João não pode faltar.
Do século XII ao XV os licores eram utilizados para os mais variados fins. Acreditava-se em suas propriedades medicinais por serem infusões de frutas ou ervas, mas por seu paladar adocicado, também era amplamente utilizado na culinária, na preparação de tortas e doces. Conta-se que os primeiros licores tiveram origem no interior da Itália, com o preparo de poções caseiras de xaropes de ervas e frutas para curar tosses, problemas de estômago e outros males. Com o passar do tempo, essas receitas foram aperfeiçoadas até que surgissem os produtos atuais. Os licores são bebidas alcoólicas, preparadas sem fermentação, misturando-se álcool ou aguardente às frutas, ervas aromáticas ou agentes flavorizantes, acrescidos de açúcar ou xarope. A versão mais romântica da origem dos licores os descreve como poções do amor para conquistar eternamente o amado. Considerado por muitos afrodisíaco, sua história é envolta em lendas de amor, de bruxas e de magos. Em algumas localidades no interior da Itália, sua criação é também atribuída às bruxas, que, sob a aparência de belas donzelas, preparavam com frutas e ervas uma poção que tinha um misterioso poder de unir para sempre um casal de amantes.
Chamado também de Cordial, os licores são bebidas alcoólicas, adocicadas e aromatizadas por substâncias vegetais, que podem ser frutas, raízes, folhas ou cascas de árvores. No nordeste o consumo de licores durante as festas juninas já é tradição.
Não menos popular que São João e Santo Antônio, São Pedro é o último a receber as homenagens durante o mês de junho. Homenageado no dia 29, o principal apóstolo de Jesus Cristo é fiel depositário de todas as esperanças de chuva dos nordestinos.
Tradição gastronômica das festas juninas são os licores.
Dizem os especialistas que o mais famoso deles, o de jenipapo, só fica realmente bom depois de passar um ano enterrado no quintal. Também são muito apreciados os licores de jabuticaba, araçá, umbu, banana, coco e outras frutas. Aspecto um pouco menos preservado da tradição, a degustação de licores mantém-se ainda viva, sobretudo na Bahia. Temos também, a versão dos licores cremosos que vou dar duas receitas para vocês preparar no seu São João.

Licor cremoso de cajá
Ingrediente
400ml polpa cajá
400g leite condensado
300ml cachaça ou vodka

Modo de preparo:
No liquidificador processar todos os ingredientes até ficar uma mistura homogênea e cremosa.
Pode armazenar o licor por 10 dias na geladeira.

Licor Cremoso de Chocolate
1 lata de leite condensado
1 caixinha de creme de leite
200 ml de leite
60 g de chocolate meio amargo picado
125 g de açúcar
1 xícara de chocolate em pó
75 ml de rum, wisky, vodca ou conhaque
1 colher (sobremesa) de essência de baunilha

Modo de preparo:
Coloque em fogo brando para derreter o chocolate meio amargo picado em 100 ml de leite, depois de totalmente derretido, desligue o fogo, espere amornar incorpore o restante do leite.
Adicione todos os ingredientes no liquidificador e bata entre 3 a 5 minutos ou até que o açúcar esteja totalmente diluído.
Deixe descansar em recipiente escuro por 7 dias, tampados com rolha, depois conserve em geladeira.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*