Fulô de Mandacaru, vencedora do programa Superstar, da Globo em 2016, está em Salvador para uma agenda de divulgação.

Único grupo de forró a conquistar um concurso nacional a Fulô chega a Salvador para fazer o lançamento da canção que homenageia os festejos juninos da Bahia (letra de Jorge de Altinho) e também do lançamento nacional do DVD deles, o Fulô de Mandacaru In Concert, que ocorrerá no fim de abril.

O DVD que será apresentado na capital baiana foi gravado no fim de 2017 e conta com o selo da gravadora Som Livre. A produção contou com as participações de Elba Ramalho, Dorgival Dantas, Padre Antônio Maria e os maestros Mozart e Spock.

A banda voltará à capital baiana no dia 26 de maio, onde se apresenta no Forró da Amizade e em uma festa corporativa. No dia seguinte, eles participam de uma grande festa em Queimadas, no Sertão Baiano. Após essa mini-excursão, os meninos de Caruaru caem na estrada durante o mês de junho com shows na cidade natal e em Campina Grande, na Paraíba, Tocantins, interior de Minas e, na Bahia, é claro, onde se apresentam em dezenas de cidades durante o São João.

Só o mie – A expressão usada em todo o Nordeste para dizer que uma coisa é perfeita não passou despercebida pelo trio que comanda a banda pernambucana Fulô de Mandacaru. Ela dá nome ao principal sucesso da banda que foi fundada em 2001 e que em 2016 alcançou um dos seus principais feitos ao conquistar a primeira colocação no programa Superstar, da TV Globo.

Mas nem tudo foi “só o mi” para Armandinho, Tiago e Pingo. Antes de conquistar o País, vencendo a disputa na Globo com uma votação popular, eles enfrentaram alguns perrengues.

Durante a gravação, o sanfoneiro da banda, Armandinho do Acordeon fez um breve relato da história do grupo que tem nome de uma flor que brota de uma planta que resiste às piores estiagens do Sertão Nordestino. “Lembro que meu pai, que sempre foi compositor e cantava lá em Caruaru, resolveu apostar na gente. Foi aí que viemos para Recife e enfrentamos imensas dificuldades”, contou o artista, lembrando que já foi cobrador de lotação numa Kombi velha.

Após as tentativas na capital pernambucana, eles se mudaram para o Vale do São Francisco. Em Petrolina, o trabalho era tão árduo quanto em Recife. “Carregávamos caixas de frutas na cabeça para vender”, resumiu.

Filhos do cantor e compositor, Armando Barros, Armandinho e Pingo viram a vida mudar quando o pai vendeu um automóvel para comprar um teclado. Anos depois, estavam em Paris para uma temporada de 30 dias divulgando o forró. Tiago, por sua vez, abandonou o sonho de ser padre e se uniu aos dois irmãos para seguir com a música.

Com muita irreverência e um extenso trabalho autoral, eles fazem releituras de clássicos do Rei do Baião, que consideram a sua principal referência, juntamente com Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Elba Ramalho, Alceu Valença e Anastácia. “A gente faz questão de se vestir como verdadeiros nordestinos, pois temos um compromisso enorme com a cultura da nossa região”, ressalta Pingo.

Bahia – Em 2017, o grupo fez uma movimentada agenda na Bahia, com shows em grandes centros como Irecê, Senhor do Bonfim e Feira de Santana. Este ano, a agenda deve ser bem maior e incluir cidades como Salvador (Pelourinho), Cruz das Almas, dentre outras.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*