Ronei Jorge, Maglore e Giovani Cidreira fazem show conjunto no Pelourinho no domingo de carnaval

Três gerações da música pop e roqueira de Salvador se reúnem para um show conjunto no carnaval da cidade. Ronei Jorge, Maglore e Giovani Cidreira sobem ao palco do Largo do Pelourinho no domingo, 11 de fevereiro, às 22h30, com o “Pipoca Pop – A Outra Banda da Festa”, para tocar seus repertórios próprios e compartilhar covers de artistas que os conectam, revelando mais que as interseções que já existem entre os três: cada um a seu modo, trilhando carreiras consistentes há temporadas diversas, eles se cruzam no presente em plena atividade, fazendo do refino de suas canções autorais a base do reconhecimento público. A apresentação integra a programação selecionada e promovida pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA).

Talvez sejam todos filhos de um mesmo propósito, que faz emergirem da música popular brasileira, revirando suas tantas facetas, sonoridades reconhecíveis e ao mesmo tempo originais. Eles são atuais, inventivos, criadores cuidadosos que fisgam plateias a ouvirem atentas, cantarem junto, dançarem livremente. Na junção disso tudo, o “Pipoca Pop” oferece aos foliões a chance de carnavalizar diante de um encontro inédito que exibirá três repertórios que muito bem representam a música independente baiana na atualidade.

Com mais de 20 anos de estrada, o cantor e compositor Ronei Jorge é um dos mais respeitados nomes da música contemporânea da Bahia. Além da banda Ronei Jorge e Os Ladrões de Bicicleta, em que esteve à frente entre 2003 e 2010 e que o consolidou na história da cena local, Ronei tem um currículo amplo de trabalhos com bandas, projetos artísticos, trilhas para teatro e cinema, tendo participado de diversos festivais e feito shows em todo o Brasil. Engatando um novo trabalho solo, previsto a render um primeiro disco em abril de 2018, ele segue a busca constante pela música pop brasileira, onde encontra vigor e sutileza, subversão e encantamento, criando uma obra de assinatura marcante, com molduras de frevo, samba, xote, rock, ainda que as músicas não se pareçam de cara com nenhum desses gêneros.

Formada em 2009, a banda Maglore – com Teago Oliveira (voz e guitarra), Lelo Brandão (teclado, guitarra e voz), Felipe Dieder (bateria e voz) e Lucas Oliveira (baixo e voz) – vive uma crescente permanente em seus mais de oito anos de atividade. Com centenas de shows realizados em todo o país e quatro discos lançados, tem em seu mais recente álbum, “Todas as Bandeiras” (2017), a sua tonalidade mais autoral, política e precisa. No amplo universo da música popular brasileira, rock, pop, lirismo e barulho os colocam no caminho do meio entre o mainstream e o underground, enquanto fazem o seu público ser cada vez maior.

Giovani Cidreira é um dos fortes expoentes da nova cena musical soteropolitana. Cantor, compositor, arranjador e instrumentista, o baiano de Salvador, que cresceu em Castro Alves e tem suas raízes na mítica Santo Amaro, começou sua trajetória como guitarrista e vocalista da banda Velotroz e alçou seu voo solo em 2014, com o EP “Giovani Cidreira”. Em abril de 2017, lançou o primeiro disco solo, “Japanese Food”, com patrocínio da Natura Musical, ganhando destaque na imprensa nacional especializada. Marcado pela influência da MPB produzida nos anos 1970, do rock dos 80 e da sonoridade indie atual, do Clube de Esquina e Legião Urbana a Mac Demarco e Negro Leo, seu trabalho percorre um espaço sinuoso e complexo, de sonoridades variadas e tom experimental – mas, claramente, sem deixar de ser pop.

Pipoca Pop – A Outra Banda da Festa

Ronei Jorge, Maglore e Giovani Cidreira

Onde: Palco do Largo do Pelourinho

Quando: 11 de fevereiro (domingo), às 22h30

Produção: Giro Planejamento Cultural e Tropicasa Produções

Realização: Secretaria de Cultura do Estado da Bahia

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu