MARGARETH MENEZES VAI COMEMORAR 30 ANOS DE CARREIRA NA CONCHA ACÚSTICA DO TCA

Uma carreira de sucesso, consagrada numa trajetória de 30 anos. Este é o caminho que Margareth Menezes vai percorrer no show Margareth Menezes 30 Anos, com participações de Jeneci e da banda Quabales, no dia 20 de janeiro, às 19h, na Concha Acústica do TCA. O ponto de partida é a música Faraó (Luciano Gomes), gravada através do convite de Djalma Oliveira, em 1987, que se destaca em um reportório recheados de sucessos, pontuado por canções inéditas. O show será aberto, às 17h30, com o espetáculo Janelas Baianas, projeto assinado pela Secult, no qual o ator Jackson Costa promete emocionar o público com muitas poesias. Margareth Menezes 30 Anos tem direção artística de VaváBotelho e direção musical de Adail Scarpeline.

No repertório canções inéditas, como Coisa Milenar, de Margareth e Jorge Portugal, já tocando nas rádios; e as suas composições Todo Mundo Alegre e Abalô Babá. Outra inédita é a Puro Mel da Final Flor, de Flávia Wenceslau, que vai contar com a participação dos músicos Gabi Guedes, Luciano Silva, Adilmar Borges e Adson Santana.

Durante três décadas, Margareth foi colecionando sucessos, registradas em várias turnês nacionais e internacionais por todos continentes, 16 CDs/LPs e cinco DVDs. São hits que não podem faltar no repertório, que promete fazer o público cantar e dançar na Concha, como Elegibô, Dandalunda, Toté de Maianga, Alegria da Cidade, Passe em Casa, SeleiMe Abraça e Me Beija. Faraó, o primeiro deles, tema do Carnaval do Olodum em 1987, foi a principal faixa do disco da cantora, que vendeu mais de 100 mil cópias. E assim, o Brasil ganhava uma grande estrela.

 

 CARREIRA

Em 1985, Margareth começava a se destacar como atriz no teatro, dividindo com suas apresentações de voz e violão em barzinhos. O primeiro sucesso, em 1985, Faraó, Divindade do Egito vendeu 100 mil cópias. Já no disco que leva seu nome, gravado em 1988, Margareth cravou o segundo hit, o samba reggae Elegibô – Um Canto de Ifá. Em 1990, ela foi apresentada ao mundo na turnê internacional Rei Momo, do grupo Talking Heads, a convite de David Byrne. O ano seguinte (1991) foi marcado pelo álbum Um canto pra subir, lançado também nos EUA e contou com a participação de David Byrne. Em 1992, Margareth lançou um CD, Ellegibô, apenas nos EUA, na Europa e Japão.

Já o disco Kindala, 1993, com participação de Jimmy Cliff, rendeu à cantora a primeira indicação ao Grammy Mundial. Em seguida, Margareth lança Luz Dourada (94) e Gente de Festa (95), que contou com participações de Maria Bethânia e Caetano Veloso. Em 2001, o Verão foi no ritmo de Dandalunda, música do disco Maga AfroPopBrasileiro, seguido do sucesso Toté de Maianga do CD Tête-à-tête (2003).

 Em 2004, Margareth gravou seu 1º DVD ao vivo no Festival de Verão Salvador, com a presença de Alcione e da bateria da Mangueira. Na época, depois de matérias nos jornais The New York Times, Le Monde e Washington Post, Margareth foi apelidada pelo Los Angeles Times de “Aretha Franklin brasileira”. Após uma participação arrebatadora no Montreux Jazz Festival, em 2006, na Suíça, a cantora baiana retorna ao país e grava Pra Você (2007), com participações de Ivete Sangalo e Cláudio Zoli. Com Brasileira (CD e DVD -2006), ela foi novamente indicada ao Grammy. Em 2007, comemorou 20 anos de carreira e foi homenageada por Gilberto Gil, no trio Expresso 2222.

O seu lado mais intimista foi revelado no disco Naturalmente (2008), com canções de Nando Reis, Zeca Baleiro, Gilberto Gil, Arnaldo Antunes, Chico César e Roberto Mendes. No ano seguinte, a cantora baiana gravou o CD/DVD Voz Talismã (2013).

 

MARGARETH MENEZES 30 ANOS

Atrações: Margareth Menezes e convidados

Quando: 20 de janeiro

Hora: A partir das 17h30

Local: Concha Acústica do Teatro Castro Alves. Praça Dois de Julho, s/n – Campo Grande, Salvado
Ingresso: R$20,00 (plateia meia), R$40,00 (plateia inteira

Onde comprar: Bilheteria do Teatro Castro Alves e pelo sitewww.ingressorapido.com.br

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu