COM SHOW NA CONCHA ACÚSTICA DO TCA, ALCIONE CELEBRA 45 ANOS DE CARREIRA

Em clima de festa, um público de cinco mil pessoas aguardava a cantora Alcione para comemorar seus 45 anos de carreira, ontem (22), no palco da Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA), em Salvador. A cantora entrou, às 19h15min, em grande estilo. “Eu sou a Marrom”, disse Alcione, logo ao entrar, citando o nome de sua apresentação para essa comemoração.

 

No repertório, canções como “Eu sou a marrom”, “Mulher Ideal”, “A Loba”, “Minha Estranha Loucura”, “Faz uma loucura por mim”, “O Mundo É de Nós Dois”, “Você Me Vira a Cabeça”, lembrando da novela A Cor do Pecado da Rede Globo, entre outras.

 

Foram várias músicas que embalaram casais de namorados como José Tavares e Jucimara Miranda que também foi acompanhada do pai Américo Miranda e da irmã Jucimar Antônia, todos moradores do bairro do Marechal Rondon. Foram a show da Marrom pela primeira vez, “Esse show foi bom do início ao fim, não perderemos mais nenhum, aqui em Salvador”, disse José.

 

Da esquerda para direita: Américo Miranda, Jucimar Antônia, Jucimara Miranda e José Tavares.

 

No público também estava o cabeleireiro Crisvaldo Moreira que foi levar sua avó de 86, Wanderlina Moreira, que é cadeirante. Eles saíram de Camaçari, chegaram às 18h para ficar na frente porque “ela gosta demais de show, já foi para vários, mas Alcione é a primeira vez”, disse Crisvaldo. Já Dona Wanderlina, bastante emocionada, disse que gosta de todas as músicas da maranhense e esperava que fosse maravilha pura.

 

Isa Tavares, moradora do Centenário, levou sua mãe, Iara Tavares, que também é cadeirante para assistir ao show da Marrom. “Minha mãe tem a coleção de vinil, CD e DVD. Foi com ela que eu e meu irmão, tornamos fãs de Alcione. É um sonho trazer minha mãe a esse show”, disse Isa.

 

Da esquerda para direita: Isa Tavares e Iara Tavares.

 

A cantora saiu do palco e ao voltar, veio ainda mais deslumbrante com um vestido vermelho. Fez homenagem a Emílio Santiago, relembrando sucesso como “Saigon”. “Se foi tão cedo, mas uma voz daquela tinha que estar no céu mesmo”, disse. Homenageou também Maria Betânia, Gilberto Gil e Caetano Veloso, cantores que ela disse ter muita gratidão, pois foram artistas que sempre a recebeu muito bem na Bahia. A apresentação terminou por volta das 21h, com a artista cantando músicas de compositores baianos como Ilha de Maré (Walmir Lima) e Ara-Keto (Edil Pacheco) e prometendo voltar o mais breve possível à capital.

 

Equipe Canal Folia

 

Texto: Andrea Rosa

Foto: Manuela Rosa

Compartilhe essa postagem

Sem comentários

Acrescente o seu